Group photo vs. Philadelphia Union
David Silverman

Revolution recebe Vancouver na ‘Noite Portuguesa’

Depois de mais uma derrota em terreno alheio, o New England Revolution (7-10-5, 26 pontos, décimo lugar) regressa a casa para tentar retornar às vitórias. O jogo, frente ao Vancouver Whitecaps (9-8-4, 31 pontos, sétimo lugar), tem início marcado para as 20:00 horas, no sábado à noite, e está integrado nas celebrações da ‘Noite Portuguesa’, uma série de eventos destinados a reconhecer as comunidades lusófonas da Nova Inglaterra.

Esta ‘Noite Portuguesa’ tem início pelas 17:00, com várias atividades na chamada Zona do Adepto, seguindo-se uma exposição de artigos culturais portugueses e a atuação do Grupo Folclórico do Clube Madeirense S. S. Sacramento, de New Bedford.

Em consonância com o tema, a música selecionada a tocar no estádio, mesmo durante o aquecimento os jogadores, será Portuguesa. E o programa do jogo vai conter termos, em Português, relacionados com o futebol.

Para facilitar a comparência dos adeptos Portugueses, o Revolution emitiu um bilhete especial para este jogo, a preço reduzido, apenas $25.00 cada. Quem estiver interessado terá de utilizar a internet e visitar o site do clube, www.revolutionsoccer.net/noite-portuguesa, acionar o link para compra de bilhetes e depois colocar o código promocional: PORTUGAL.

Parte da receita vai reverter a favor do Fundo de Bolsas de Estudo da comissão do Dia de Portugal em Rhode Island, uma vez que o Revolution vai contribuir com $6.00 para esse fundo por cada bilhete que seja vendido na componente promocional.

No final da partida, os jogadores do Revolution vão conviver com os adeptos que assistirem ao jogo.

Conforme já é habitual, o encontro tem transmissão televisiva na CSN New England, com relato de Brad Feldman, comentário de Paul Mariner e entrevistas por Naoko Funayama. O relato em inglês pertence à 98.5 The Sports Hub e em Português será transmitido pela 1570 WMVX Nossa Rádio.

Kei Kamara está com o pé quente

Antes de se transferir do Columbus Crew, o avançado Kei Kamara era dos goleadores mais temidos na MLS, pois registara 27 golos em 41 jogos. Mas, os seus dotes de matador não têm estado tanto em evidência desde que chegou a Foxboro, pois no mesmo número de encontros obteve apenas 15 golos, algo que o tem frustrado.

Porém, nas últimas partidas, Kamara parece ter recuperado a sua veia goleadora, já que registou quatro golos em três jogos. Daí que haja uma certa curiosidade em tentar saber o que é que terá mudado para explicar esta subida de rendimento.

“Se colocares a bola dentro da grande área, eu consigo marcar golos,” disse Kamara depois de ter obtido o único golo que o Revolution registou na derrota frente ao Chicago Fire, 4-1, na semana passada. “Foi assim que todos os golos aconteceram.”

“Temos visto o seu ritmo de trabalho, ele [Kamara] colocou as outras coisas no passado, tem sido implacável nas suas desmarcações,” disse o técnico Jay Heaps. “Isso é essencial, e os colegas estão realmente a tentar recompensá-lo quando ele faz aquelas desmarcações repentinas.”

O colega de setor Juan Agudelo considera que a forma como Kei Kamara tem trabalhado na ajuda à defesa contribuiu de forma decisiva para este sucesso recente, pois em vez de se desgastar a defender, Kamara tem encontrado uma motivação adicional para atacar com mais força e determinação.

“O trabalho que ele tem feito nos treinos transfere-se para os jogos. Penso que ele tem-se vindo a aplicar a fundo e a raiva que ele acumula quando defende, beneficia-o quando ele muda para o lado ofensivo, finalizando e mantendo-se nas jogadas”, sugeriu Agudelo.

“Definitivamente tem-nos ajudado. Se conseguirmos juntar tudo, penso que poderemos tornar-nos numa equipa muito perigosa.”

“Os golos são bons, mas é bom marcar golos quando eles significam qualquer coisa,” acrescentou Kamara. “Eu aceito esses golos se eles me tornarem imparável; se for assim definitivamente posso seguir em frente.

“[Tenho marcado] alguns golos nos últimos jogos, mas espero que consiga marcar mais alguns.”

Lee Nguyen é um dos líderes em assistências na MLS

Felizmente para o Revolution, Kei Kamara não é o único jogador em destaque. O médio Lee Nguyen, que já marcou oito golos, é um jogador muito versátil, uma das armas principais no ataque, pois encontra-se presentemente no topo da lista dos líderes em assistências na MLS.

“Nós temo-lo movimentado um pouco, às vezes tem estado no lado direito, tem estado no topo, tem estado a jogar a número 10,” disse o médio Kelyn Rowe. “Há que lhe dar crédito porque, onde quer que esteja, ele consegue encontrar os espaços certos.”

Portanto, para que Nguyen continue inspirado, segundo Rowe, será necessário “conseguirmos continuar a encontrá-lo naquela zona entre a linha média e a defesa. Ele é muito bom a atacar a defesa quando esta está a recuar, por isso se conseguirmos dar-lhe a bola nessas posições, ele vai desmantelar as outras equipas e é isso que nos torna perigosos.”

“Ele tem sido fantástico a encontrar espaços em posições perigosas e a encontrar os colegas,” acrescentou o médio Scott Caldwell. “Em termos gerais, sabemos que precisamos de continuar a entregar-lhe a bola nesses espaços e esperar que ele continue a ser tão perigoso conforme tem sido.”

“Penso que ele tem vindo a fazer um bom trabalho. Em termos ofensivos, neste momento ele está a ver o jogo muito bem,” concluiu o treinador Jay Heaps. “Estamos a ser criativos na forma como ele começa o envolvimento no ataque, estamos a manobrá-lo dentro do campo para que as outras equipas não consigam planear adequadamente a defesa contra ele.

“O Lee está a jogar muito bem, a tentar ser criativo e não apenas rematar, mas sim ser criativo e isso é realmente importante.” 

Vancouver é muito perigoso fora de casa

O lugar que Vancouver ocupa na tabela classificativa é um pouco enganador já que, embora a equipa esteja em sétimo lugar, portanto abaixo da chamada ‘linha de água’, a formação canadiana tem menos jogos disputados do que a maioria das equipas que estão à sua frente. Caso consiga vencer os encontros em atraso, Vancouver poderá subir ao primeiro lugar, onde iria igualar o Sporting Kansas City.

O principal agitador da equipa tem sido Fredy Montero, que já conseguiu nove golos e duas assistências. Os adeptos Portugueses que estiverem no Gillette Stadium decerto vão ter boas memórias de Montero, pois o avançado Colombiano esteve quatro temporadas no Sporting Clube de Portugal, curiosamente clube que tem uma parceria estratégica com o Revolution.

Depois de ter conseguido 13 golos em 29 partidas no ano de estreia em Portugal, em 2013, Montero acumulou 37 golos e 12 assistências em todas as competições em que jogou pelo Sporting, incluindo cinco jogos na UEFA Champions League e três golos e quatro assistências nas sete partidas na Liga Europa.

Em 2014-15, Montero teve papel fundamental na final da Taça de Portugal, pois a sua equipa chegou a estar a perder por 2-0, com menos um homem, mas um golo tardio de Montero forçou o prolongamento e o Sporting acabaria por conquistar o troféu no desempate for grandes penalidades.

E Montero tem estado em destaque nos jogos mais recentes dos Whitecaps, pois obteve o golo do empate, 2-2, no jogo da semana passada frente a Colorado; bisou na semana anterior contra o Dallas, vitória por 4-0; e iniciou a contagem no triunfo, 3-2, sobre o New York City FC a 5 de julho.

“Eles [Vancouver] defendem muito bem, pressionam nos momentos certos, sabem contra-atacar e marcam golos quando as outras equipas assumem riscos excessivos,” avisou o técnico Jay Heaps. “Por isso nós temos de ser uma mistura, temos que ser agressivos ofensivamente, mas também saber neutralizar o que eles poderem fazer no outro sentido.”

“Por termos acabado de defrontar Los Angeles, que também é uma equipa boa fora de casa, sabemos que primeiro e acima de tudo vamos precisar de jogar bem defensivamente e a partir daí criar os nossos golos,” acrescentou o médio Scott Caldwell. “Eles são uma equipa boa e sólida, por isso sabemos que vamos ter de jogar bem.”

Este vai ser realmente um jogo de contrastes porque o Revolution tem tido grande sucesso em casa, onde conseguiu 23 dos seus 26 pontos, mas Vancouver tem sido das melhores equipas da MLS a jogar em terreno alheiro, pois já amealhou 14 pontos fora de casa.

O jogo assume ainda maior importância para o Revolution, uma vez que será o único encontro no Gillette Stadium durante o mês de Agosto. Fora de casa, o Revolution ainda não ganhou, conquistou uns míseros três pontos em 11 saídas.

“Penso que é frustrante não termos conseguido encontrar o nosso fio de jogo fora de casa,” reconheceu Juan Agudelo. “Mas, não podemos estar a pensar nos jogos fora e nas exibições dos jogos fora de casa porque o nosso próximo jogo é em casa. Por isso, temos de continuar a fazer o que temos feito em casa e depois de conseguirmos os três pontos em casa neste fim-de-semana então poderemos preocupar-nos com o jogo fora. Mas, o nosso principal foco neste momento é Vancouver.”

Para o médio Scott Caldwell, este jogoé importantíssimo, atendendo à forma como temos jogado fora, precisamos de continuar na mesma forma em casa e levar esse impulso quando estivermos fora de casa durante o resto do mês.”

Juan Agudelo considera que este será talvez “o jogo mais importante da temporada. Olhando para a nossa forma fora de casa, precisamos destes três pontos em casa para nos incentivar a conseguirmos finalmente três pontos fora de casa.”

Já o médio Kelyn Rowe sugere que “ao entrarmos num mês difícil, queremos ganhar o mais possível e penso que é isso que nós vamos fazer. Esperamos ansiosamente por poder regressar a casa, conseguir a vitória, conseguir os três pontos.”

Para Rowe, ganhar será importante porque a vitória permite “aumentar um pouco a nossa confiança, não apenas em termos de equipa, mas também para alguns jogadores a nível individual conseguirem elevar a sua confiança daqui para a frente, porque quando conseguirmos ter os nossos melhores jogadores em forma vai ser difícil ganharem-nos.”

“Por isso temos de ganhar este jogo e daqui para a frente temos que conseguir que nossas exibições melhorem.”

Topics: