2017 MLS Regular Season - Away - Match 4 - Providence Park - Tie - Portland Timbers - 1-1 - Goal Celebration
Photo by Jaime Valdez-USA TODAY Sports

Revolution quer continuar série de resultados positivos em casa

O empate conquistado na semana passada em Portland, frente aquela que é considerada a segunda melhor equipa da MLS, animou as hostes em Foxboro. E, na realidade, há muitos aspetos positivos a retirar daquela igualdade, desde a forma como a equipa nunca perdeu a confiança, até à estreia do jovem central Joshua Smith e a confirmação de que Antonio Delamea é mesmo reforço.

O técnico Jay Heaps surpreendeu quando decidiu dar a titularidade a Joshua Smith, jovem escolhido este ano no SuperDraft, depois de concluída a sua carreira na Universidade de São Francisco. Foi a sua estreia a titular e logo contra o ataque mais realizador da MLS, missão que desempenhou quase sem falhas.

“Obviamente é difícil proporcionar uma estreia aqui [em Portland], mas eu penso que o Josh joga como um homem, vimos isso na pré-temporada, temos visto isso durante os treinos, ele estava preparado para jogar,” disse Jay Heaps após o final da partida. “Durante toda a semana pensámos nos confrontos e considerámos que seria um bom confronto entre ele e o [Fanendo] Adi, que tem uma grande pujança física, mas eu penso que o Josh se saiu extremamente bem neste jogo.

“Tivemos muitos bons jogadores em campo, mas para mim [o Josh Smith] foi o melhor homem em campo.”

Smith ocupou o lugar que tem pertencido a Benjamin Angoua, o internacional da Costa do Marfim que assinou em Fevereiro pelo Revolution depois de sete temporadas na Primeira Liga Francesa, a Ligue 1, onde representou o Valenciennes FC (2010-14) e o EA Guingamp (2014-17). Mas, na terça-feira, o técnico do Revolution deu a entender que Angoua deverá regressar à titularidade frente a Houston no jogo de sábado.

“Acho que é realmente importante compreender que escolhemos o Josh [Smith] sabendo que queríamos ter um defesa central alto e forte para certas situações nos jogos,” explicou Jay Heaps no final do treino de terça-feira. “Nós fomos colocá-lo num ambiente difícil e ele foi excelente. Penso que daqui para frente vai ser algo que podemos usar como estratégia para o jogo e como parte da nossa abordagem tática.”

Antonio Delamea nomeado para a equipa ideal da MLS

Quem está verdadeiramente de pedra e cal na defesa do Revolution é o central Antonio Delamea, que tornou a brilhar frente a Portland e acabou por ser escolhido para a equipa ideal da semana na MLS.

Frente aos Timbers, no jogo disputado no domingo à noite no Providence Park, o internacional esloveno teve 10 cortes, sete recuperações de bola, uma interceção e um bloqueio, exibição que confirma a sua subida de forma.

“Logo no primeiro dia de treinos pareceu que ele [Delamea] já cá estava há anos,” disse Heaps.

O treinador do Revolution reconheceu que a adaptação de Delamea ao futebol da MLS, algo que para alguns jogadores estrangeiros requer vários meses de estadia, tem decorrido mais rapidamente do que inicialmente previsto.

Depois de salientar que Delamea se enquadrou na equipa com relativa facilidade, logo na pré-temporada, Heaps acrescentou que a sua equipa técnica ficou bastante satisfeita “com a maneira como ele se integrou no grupo. É um jogador importante, adaptou-se realmente bem aos colegas de equipa e é um líder embora só cá esteja há 2 ou 3 meses.”

E Heaps vai precisar que Delamea esteja novamente em destaque no sábado porque os visitantes do Houston Dynamo, atual segundo classificado na Western Conference, estão em grande forma e têm sido uma das sensações deste princípio de temporada.

O avançado mexicano Erick "Cubo" Torres obteve três golos na semana passada frente ao New York City FC e por isso foi considerado o Jogador da Semana na MLS. Torres é presentemente o melhor marcador da liga, com seis golos, o que apanhou todos de surpresa porque nos dois anos anteriores participou apenas num total de 22 jogos, sete como titular, e não marcou um único golo.

Por outro lado, as três vitórias que o Dynamo registou até ao momento foram conseguidas no seu próprio estádio e na única saída, curiosamente a Portland, onde o Revolution jogou no domingo, perdeu por 4-2, num jogo em que chegou ao intervalo a vencer, 2-1.

Empate em Portland reforçou a confiança dos Revs

O empate, 1-1, conseguido já ponta final da partida, numa recarga oportuna de Lee Nguyen, aumentou a confiança dos jogadores do Revolution.

“Penso que houve momentos nesse jogo, depois de ver o filme, em que tivemos fases boas, não se falou muito sobre isso, mas durante a partida, em certas alturas, demonstrámos um bom ritmo de jogo,” sugeriu Jay Heaps.

“Aquele ponto em Portland é enorme, não há muitas equipas que consigam ir lá pontuar, e por isso penso que vamos utilizar o impulso do jogo contra Minnesota e em Portland para os treinos desta semana, e obviamente vamo-nos concentrar nas coisas que temos vindo a fazer nestas duas últimas semanas,” acrescentou o guardião Cody Cropper. “Penso que o jogo contra Houston é uma excelente oportunidade de jogarmos perante os nossos fãs e conseguirmos mais pontos.”

E Kelyn Rowe, que iniciou a jogada do golo com uma interceção na intermediária de Portland, salientou que a equipa teve uma “excelente recuperação em Portland para conseguir o ponto, nunca parámos.”

E essa determinação foi recompensada com o empate, que Rowe considera “positivo”, num jogo em que “a equipa jogou bem durante os 90 minutos e é isso que precisamos.”

Portanto, são dois jogos consecutivos a pontuar num início de temporada muito complicado, com três deslocações muito difíceis, a Colorado, Dallas e Portland. Mas, o calendário vai-se equilibrar, porque três dos próximos quatro jogos vão ser disputados no Gillette Stadium. Há que saber aproveitar.

“Algo que sempre falamos é que quando se consegue conquistar um ponto fora de casa e se consegue um bom resultado e depois temos a oportunidade de regressar a casa, temos que solidificar tudo isso com a conquista dos três pontos,” reconheceu Jay Heaps.

No único jogo disputado em casa, o Revolution goleou Minnesota, 5-2. Os jogadores da turma de Foxboro, embora reconhecendo as dificuldades que Houston decerto vai oferecer, pretendem manter esta veia vitoriosa porque querem que o seu estádio seja um verdadeiro inferno para todos os visitantes.

O avançado Teal Bunbury, que esteve envolvido no lance do golo em Portland, confirma que a equipa está focada “na conquista dos 3 pontos em casa, nós queremos transformar isto num forte, queremos ganhar os jogos para os nossos fãs, para nós próprios, para nos ajudar na classificação.”

Portanto, o bom momento de forma de Houston não assusta.

“Sabemos que Houston é uma excelente equipa por isso vai ser um bom jogo, mas nós estamos numa boa fase, estamos embalados, o ponto fora de casa em Portland foi um grande bónus para nós,” explicou Bunbury. “Agora podemos concentrar-nos no regresso a casa e tentar derrotar Houston.”

“Equipa semelhante a Portland, ganharam uma série de jogos no início e depois sofreram a primeira derrota, por isso estavam determinados,” acrescentou Kelyn Rowe. “Mas o termos recuperado e conseguido o empate foi tremendo, vai ser o mesmo este fim-de-semana porque Houston está em grande, vai chegar aqui em forma e nós teremos que cerrar filas e estar preparados para lutar.”

“Vai ser muito difícil, eles são excelentes a atacar, defendem bem, apresentam avançados diferentes e claro o avançado centro [Cubo Torres] está em excelente forma, a marcar muitos golos,” avisou o técnico Jay Heaps.

Normalmente o Revolution ate se dá bem contra equipas que gostam de apostar no ataque. Com o segundo melhor ataque da liga, Houston decerto vai arriscar nesta sua deslocação a Foxboro.

“Se as equipas vierem aqui e correrem riscos isso vai deixar espaços livres e nós em casa temos marcado imensos golos, encontramos os espaços vazios, por isso se eles correrem esses riscos e nós encontrarmos esses espaços e finalizarmos as nossas oportunidades, será um bom jogo,” sugeriu Kelyn Rowe.

“Quando jogamos em casa adoramos jogar ao ataque, adoramos ter a posse de bola e penso que no nosso último jogo, contra Minnesota em casa, provámos que podemos marcar muitos golos e sabemos jogar, por isso vai ser um jogo divertido,” concluiu Teal Bunbury.

O encontro frente a Houston terá início pelas 14 horas de sábado. Conforme é habitual, a transmissão televisiva estará a cargo da CSN New England, com relato de Brad Feldman, comentário de Paul Mariner e entrevistas por Naoko Funayama. O relato pertence à 98.5 The Sports Hub em inglês e à 1570 WMVX Nossa Rádio em Português.

Topics: