Lee Nguyen vs. Columbus Crew SC
Greg Bartram-USA TODAY Sports

Frente a Columbus, Revolution quer continuar invicto nos jogos em casa

Transformar o Gillette Stadium num forte, num lugar onde nenhuma equipa visitante se sinta confortável, é o principal objetivo do New England Revolution para a temporada em curso. E até ao momento esse intento está bem encaminhado pois a equipa não sofreu nenhuma derrota nos primeiros cinco jogos em casa, onde conquistou 11 dos seus 13 pontos.

Mas, no domingo à tarde o Revolution vai enfrentar o maior desafio até ao momento quando receber a visita do Columbus Crew, atual segundo classificado da Eastern Conference, equipa com quem perdeu há escassas duas semanas, 2-0, em Columbus.

O encontro entre o New England Revolution (3-4-4, 13 pontos) e o Columbus Crew (6-5-1, 19 pontos) terá início pelas 14:30, no domingo, com a transmissão televisiva a pertencer uma vez mais à CSN New England, com relato de Brad Feldman, comentário de Paul Mariner e entrevistas por Naoko Funayama. O relato em inglês será transmitido pela 98.5 The Sports Hub e em Português pela 1570 WMVX Nossa Rádio.

Goleada sobre Real Salt Lake moralizou a equipa

O Revolution estava a atravessar uma das fases mais difíceis da temporada, pois já não ganhava há cinco jogos, mas tudo mudou com o regresso a casa e no passado sábado os Revs golearam o Real Salt Lake por 4-0, vitória que permitiu à equipa recuperar a confiança.

“Tivemos dois jogos difíceis fora de casa, foi difícil, por isso para nós foi importante regressar a casa e acrescentar aquilo que habitualmente fazemos,” reconheceu o avançado Kei Kamara, que falhara os dois jogos anteriores enquanto esperava o nascimento do seu filho. “O jogo contra o Real Salt Lake moraliza a todos e dá-nos energia para levarmos para o próximo jogo, contra Columbus, neste fim-de-semana.”

Mas, embora exista uma natural satisfação pelo regresso às vitórias, os jogadores do Revolution reconhecem que o RSL veio algo desfalcado a Foxboro e por isso é importante não embandeirar em arco.

“Temos que tentar aproveitar o ímpeto que adquirimos com a vitória sobre o RSL, mas não podemos olhar muito para a frente, não nos sentirmos demasiadamente bem pois eu penso que ainda temos muito que melhorar,” avisou o lateral esquerdo Chris Tierney, que regressou á titularidade depois de uma ausência de três jogos. “Foi uma equipa da Conferência Oeste, esperávamos ganhar o jogo por ser em casa, agora temos uma equipa da Conferência Leste este fim-de-semana e esses são sempre jogos importantes para nós. Estamos ansiosos por jogar contra Columbus.”

Contrariamente ao que sucedeu frente ao Real Salt Lake, desta feita o Revolution vai encontrar pela frente uma equipa muito perigosa, com o segundo melhor ataque da conferência, liderado pelo médio Justin Meram, que acaba de ser nomeado o ‘Jogador da Semana’ na MLS graças aos três golos que obteve frente a Montreal. Meram tem sete golos e quatro assistências nos 12 jogos disputados até ao momento, mas Columbus tem outras armas, designadamente o avançado Ola Kamara (6 golos, 1 assistência) e o médio argentino Federico Higuain (4 golos, 4 assistências), precisamente os autores dos golos que derrotaram o Revolution a 6 de maio.

Por isso a defesa do Revolution vai ser severamente posta à prova. Mas, os Revs não sofreram golos em três dos cinco jogos disputados em Foxboro, pelo que o objetivo passa claramente por tornar a não sofrer golos.

“Sim, se não sofreres golos não perdes e o nosso objetivo é continuarmos invictos em casa,” salientou Chris Tirney. “Entramos em todos os jogos em casa com a ideia de não sofrermos golos, esse é sempre o nosso objetivo porque sabemos que temos qualidade para criar o número suficiente de oportunidades para também marcarmos os nossos golos.

“Pensamos primeiro em defender. Embora tenhamos a expectativa de ganhar os jogos em casa, temos que defender bem.”

O técnico Jay Heaps concorda que não sofrer golos é importante mas reconhece que para superar um adversário como Columbus é preciso fazer muito mais.

Para ele, para além de não sofrer golos é necessário também “trazer muito mais. Para mim é crítico que tornemos o nosso campo num sítio difícil para as outras equipas, mas ao mesmo tempo temos que abrir espaços para podermos atacar, por isso procuramos as alturas certas para misturar as duas coisas.”

O regresso de Kei Kamara ajuda a esquecer a lesão de Juan Agudelo

Lesionado num choque durante um dos treinos da semana passada, o avançado Juan Agudelo, melhor marcador do Revolution, com 6 golos, foi a grande ausência no jogo frente a Real Salt Lake. Felizmente para os Revs, Kei Kamara regressou à equipa depois de duas semanas de ausência e mostrou serviço, pois marcou um golo e deu outro a marcar, a Lee Nguyen.

“Obviamente [o regresso de Kamara] foi importante, porque ficámos sem o Juan, que sofreu uma lesão durante o treino,” disse Jay Heaps no final do treino de terça-feira. “Estávamos esperançados que ele recuperasse a tempo de jogar no fim-de-semana, mas também sabemos que temos um plantel vasto e temos outros jogadores que podem dar um passo em frente. Sentimos que o Kei estava pronto para jogar.”

Agudelo continua em dúvida para domingo.

“Está a recuperar”, foi o único esclarecimento de Jay Heaps sobre a situação clínica do seu avançado.

Enquanto Agudelo não regressa, os golos terão de vir de outro lado. Kei Kamara está ansioso por continuar a marcar.

“Sim, tenho sentido a falta dos jogos. Poder regressar ao campo no passado fim-de-semana foi algo de que gostei imenso, queria que nós conseguíssemos aquela vitória, e marcar um golo,” disse Kamara.

Lee Nguyen está em boa forma

Quem também continua de pé quente é Lee Nguyen, que já acumulou 5 golos e 4 assistências. Frente a Real Salt Lake tornou a fazer o gosto ao pé e também registou assistências nos golos de Kei Kamara e Diego Fagundez.

“Esses jogos são divertidos porque tenho oportunidade de dar muitos toques na bola,” disse Nguyen. “Conseguimos manter a posse de bola e esses são o tipo de jogos em que conseguimos mostrar fluidez de jogo precisamente porque conseguimos manter a posse de bola, mudamos o flanco da esquerda para a direita, e conseguimos encontrar os espaços vazios.”

“O Lee tem liberdade para se movimentar, o que é muito bom porque cria espaços para os outros e ele tem visão para poder encontrar os colegas,” indicou Kei Kamara ao salientar o bom momento de boa forma que o colega atravessa.

“Ele faz parte deste ataque há já algum tempo e definitivamente motiva todos os que estão à sua volta.”

O técnico Jay Heaps explicou que a liberdade concedida a Lee Nguyen no esquema tático da equipa se deve ao fato deste ser “um jogador intuitivo quando está no campo. Há partes do jogo em que ele sente as coisas, por isso não o podemos amarrar num lugar específico porque ele precisa de liberdade.

“E eu penso que quando ele está no seu melhor, consegue encontrar os espaços e também encontra espaços nas laterais. Este ano ele tem estado muito bem, não apenas a marcar golos, mas também a criar golos para a equipa.”

Quem também está em excelente forma é o jovem Diego Fagundez, que esta semana foi nomeado para a ‘Equipa da Semana’ na MLS. Embora esteja possivelmente na melhor forma da sua carreira, Fagundez só frente ao Real Salt Lake é que conseguiu obter o seu primeiro golo na temporada em curso.

Fagundez reconheceu que o fato de ainda não ter marcado estava a começar a afetá-lo.

“Um pouco,” reconheceu Fagundez. “Mas continuei a fazer o meu jogo. Era uma daquelas situações em que pensava muito sobre isso e tinha chegado a uma altura em que não queria pensar mais, queria unicamente deixar isso de lado e continuar a jogar.

“Estou feliz por a bola ter entrado porque agora posso começar a jogar mais solto e deixar de pensar nisso.”

É possível que o médio Gershon Koffie possa fazer a sua estreia neste jogo. Natural de Gana, Koffie representou o Revolution no ano passado, mas no final da época ingressou no Hammarby IF, da Suécia, onde não conseguiu impor-se. Por isso, foi cedido a título de empréstimo pela formação Sueca, mas continua à espera do visto para poder ser inscrito na MLS.

“Estamos à espera, estamos esperançados que o vamos ver ainda esta semana,” disse o treinador Jay Heaps depois do final do treino de terça-feira.

O mesmo adversário duas semanas depois

Normalmente passam-se algumas semanas antes que as mesmas equipas se tornem a encontrar no campeonato da MLS. Mas, neste caso, o Revolution e o Crew voltam a encontrar-se escassos 16 dias depois do primeiro confronto, o tal jogo em que o Revolution foi penalizado por não ter conseguido converter as oportunidades de golo que criou.

A derrota não foi esquecida.

“Estou pronto para jogar outra vez contra eles,” explicou Lee Nguyen. “Ficámos com um sabor amargo na boca devido à forma como acabámos o jogo em Columbus, pois sentimos que merecíamos ter trazido pontos desse jogo e por isso agora vamos recebê-los em nossa casa, e na realidade estou ansioso por isso.”

Por sua vez, o treinador Jay Heaps reconhece que se trata duma “dinâmica singular, na medida em que defrontámos uma equipa da conferência leste duas vezes tão perto uma da outra, e há equipas que ainda não vimos.

“É um pouco estranho, mas nem sequer falámos sobre nisso, eu não tenho controlo sobre o calendário e por isso temos que regressar ao trabalho.”

Kei Kamara relembra que não jogou em Columbus, mas que viu o jogo em casa e considerou que a equipa deu boa conta de si. Seguiu-se a vitória sobre o Real Salt Lake, numa impressionante demonstração do poder de fogo do ataque dos Revs, e por isso considera que o Crew vai ser muito cuidadoso neste jogo.

“O que fizemos na semana passada é algo em que eles estão a pensar durante os treinos desta semana, que tipo de ameaça é que nós somos”, indicou Kamara. “Mas, ao mesmo tempo nós temos que estar concentrados. Temos que os respeitar, porque eles têm uma boa equipa, mas quando cá vierem, nós vamos saber jogar o nosso futebol.”

E aparentemente Kamara, que jogou em Columbus durante quatro temporadas, adivinhou o pensamento do adversário de domingo.

“[O Revolution] é uma equipa perigosa, fez um grande jogo outro dia [contra RSL], marcaram quatro golos e ganharam com facilidade, por isso vai ser um jogo difícil,” reconheceu o treinador Gregg Berhalter. “Mas vamos preparar-nos de forma a podermos fazer estragos contra eles.” 

O jogo, marcado para domingo, tem o seu início às 14:30.

Topics: