Preseason 2017 - Tucson, Arizona - Day 23 - Training - Team Huddle
New England Revolution - Ron Bower

Faltam menos de três semanas para o primeiro jogo

É já no próximo dia 4 de Março, no Dick’s Sporting Goods Park, em Commerce City, que a nova temporada do New England Revolution tem início. O jogo, frente ao Colorado Rapids, tem o pontapé de saída marcado para as 18:00.

Depois de ter passado quatro dias em casa, no Gillette Stadium, para apresentação do novo equipamento alternativo, o Revolution já está novamente no Arizona, em Tucson, onde vai participar uma vez mais no torneio de pré-temporada Desert Diamond Cup, que será disputado no complexo desportivo de Kino.

De há uns anos a esta parte, o torneio tem constituído a finalização da preparação para a nova temporada, pois ocorre poucos dias antes do início oficial da época de 2017.

Nesta sua sexta edição anual, o Desert Diamond Cup conta com a participação de seis equipas da Major League Soccer — New England Revolution, New York City FC, New York Red Bulls, Colorado Rapids, Sporting Kansas City e Houston Dynamo.

A primeira jornada tem lugar já no sábado, com a disputa de três jogos, salientando-se que New England Revolution abre contra o Colorado Rapids, precisamente o mesmo adversário do jogo de estreia para o campeonato.

Recorde-se que o Revolution venceu o torneio no ano passado, derrotando o Columbus Crew, 1-0, na final, com golo de Teal Bunbury.

No domingo, na tal festa de apresentação do novo equipamento alternativo, o treinador Jay Heaps teve oportunidade de dialogar com os adeptos da equipa. Não obstante a tempestade de neve que cobriu todo o sudeste da Nova Inglaterra com um manto branco, centenas de adeptos quiseram conviver de perto com os jogadores que participaram na cerimónia.

A primeira questão levantada foi o entrosamento entre os dois novos centrais, Antonio Mlinar Delamea e Benjamin Angoua.

“Estão-se a integrar muito bem,” respondeu Jay Heaps. “Ambos chegaram a tempo de se juntarem a nós em Casa Grande, o Benji [Anguoa] teve um problema no tendão, vai estar bom dentro de dias e o Tony [Delamea] foi excelente. Só poder tê-los com o grupo já é muito bom, tê-los a bordo na forma como vamos querer jogar, mas neste momento o importante para mim é a química, ter a certeza de que todos se enquadram na equipa.”

Como a equipa tem utilizado sistemas de jogo diferentes desde que, na ponta final da última temporada mudou para um 4-4-2 em losango, curiosamente porque na altura a equipa estava a sentir dificuldades defensivamente, Jay Heaps foi interrogado se já teria decidido qual o sistema a utilizar este ano.

“Esta pré-temporada é para determinar qual o sistema de jogo que melhor se enquadra com a nossa equipa,” respondeu Heaps. “Acabámos a temporada muito bem no sistema de 4-4-2, losango, gosto imenso desse sistema para a nossa equipa. Mas, também penso que somos muito flexíveis na forma como podemos mudar desse sistema para o 4-3-3. Desde que os nossos jogadores estejam todos na mesma página, podemos utilizar dois ou três sistemas de jogo diferentes.”

Recorde-se que na semana passada Heaps havia dito que “a formação (4-4-2) vai ser muito prevalente no que fazemos, mas temos outras ideias em mente, também. O 4-4-2 será certamente uma opção. Penso que o 4-3-3 também é algo que nós iremos utilizar, e o 4-2-3-1 por vezes, e uma ou duas outras formações iniciais durante o percurso.”

Sobre o aumento de opções no plantel, Heaps concordou que está mais rico, pois “em cada lugar haverá alguém para competir com o outro.”

Mas, o certo é que embora o Revolution se tenha reforçado, o mesmo aconteceu com as restantes equipas da MLS.

“Penso que sim, vê-se isso através da MLS,” reconheceu Jay Heaps. “Há mais dinheiro a entrar na MLS, e temos que prestar atenção às contratações, não apenas as contratações, e não apenas a questão das contratações, mas o facto de serem jogadores que vão ter impacto [positivo] na equipa. Isso é o mais importante, conseguirmos contratações sólidas que nos ajudem dentro do campo.”

Este segundo estágio no Arizona vai servir principalmente para integrar os novos jogadores e finalizar planos de jogo.

“Fizemos um bom trabalho a integrar o grupo em termos de química,” indicou Jay Heaps. “Agora temos que finalizar o plano de jogo contra Colorado, quem vão ser os titulares, como vai ser depois de seis ou sete jornadas. Estivemos a criar esta multitude de opções, mas agora temos que ter os jogadores colocados nos seus lugares e a lutarem pelas opções.”

Jay Heaps mostrou-se ainda bastante satisfeito por poder contar com o antigo colega de equipa Carlos Llamosa na sua equipa técnica.

“Sim. Ele é não apenas um excelente treinador com quem os nossos rapazes vão aprender, mas também uma excelente pessoa. Essa é a melhor parte,” confessou Heaps.

O calendário

Conforme já mencionámos, e pela nona época consecutiva, o Revolution abre o novo ano fora de casa, no sábado, 4 de Março, frente ao Colorado Rapids, com início pela 18:00. 

A estreia em casa, no Gillette Stadium, terá lugar na semana seguinte, dia 11 de Março, contra Kaká e o Orlando City SC, pelas 14:00. O Revolution jogará novamente fora de casa na semana seguinte, para defrontar o FC Dallas no jogo de abertura em casa daquele clube, no Toyota Stadium, em Frisco, no Texas.

O Revolution vai jogar um total de 23 jogos contra adversários da sua conferência, no Leste, ou seja defronta cada adversário pelo menos duas vezes e vai jogar contra Chicago, New York City FC e Toronto FC um total de três vezes cada.

Para completar o calendário, defronta os 11 clubes da Conferência Oeste uma vez cada, incluindo um jogo fora de casa frente aos campeões da MLS, o Seattle Sounders FC, no sábado, 29 de abril.

Ao todo, 13 das 17 partidas no Gillette Stadium serão jogadas no sábado. As outras, duas serão na quarta-feira, as outras duas no domingo.

E pela oitava temporada consecutiva, a CSN New England vai ser o parceiro para as transmissões televisivas a nível local. A nível nacional, haverá duas transmissões, com o Portland Timbers, no Providence Park, no domingo, 2 de abril, na ESPN2, e depois contra o Philadelphia Union, no Talen Energy Stadium, a 2 de julho, na FS1.

Topics: