Team celebration in Open Cup quarterfinals
David Silverman

Revolution segue para as meias-finais da U.S. Open Cup

Foi preciso ir ao desempate por grandes penalidades, mas o New England Revolution seguiu em frente na U.S. Open Cup, eliminando o Philadelphia Union --1-1 nos 120 minutos, 4-2 nas grandes penalidades-- em jogo disputado na quarta-feira à noite, no Jordan Field da Universidade Harvard, em Boston, conquistando assim um lugar nas meias-finais da prova.

O Revolution chegou a esta fase da Taça, a mais antiga prova de clubes nos Estados Unidos, depois de eliminar o Carolina Rail Hawks e o New York Cosmos, duas equipas da North American Soccer League, em jogos disputados fora de casa.

Neste encontro, os dois conjuntos optaram por apresentar formações que incluíram muitos titulares, não obstante terem jogos para o Campeonato da MLS já este sábado, quando o Revolution receber o Chicago Fire e Philadelphia defrontar o Impact, em Montreal.

Os Revs foram a equipa mais perigosa na primeira parte e deram o primeiro aviso logo aos oito minutos quando o médio Kelyn Rowe entrou na área e rematou forte, mas o guardião Andre Blake lançou-se bem e evitou o golo.

Os donos da casa poderiam ter-se adiantado no marcador aos 27 minutos, num excelente remate de Kei Kamara, mas Blake, uma das figuras de maior destaque na turma de Philadelphia, impediu o golo com uma excelente defesa, feito que viria a repetir em mais duas ocasiões, sempre a negar Kamara.

Mas, o Revolution conseguiu adiantar-se no marcador muito perto do intervalo, num lance em que tirou proveito da desatenção da equipa adversária. Na cobrança de livre directo, Diego Fagundez reparou que a barreira do Union ainda não estava devidamente formada e alongou para Je-Vaughn Watson, que surgiu isolado já dentro da área e atirou colocado, levando a bola a entrar junto ao segundo poste. 

Na segunda parte, com a passagem do tempo, o Revolution conseguiu ter mais bola, especialmente na ponta final da partida, e esteve perto de arrumar com o jogo, aos 81 minutos, quando Lee Nguyen apareceu solto de marcação, à saída da área, e atirou forte, mas a bola saiu sobre a barra.

Mas, quase em cima da hora, os visitantes chegaram ao golo da igualdade, numa altura em que nenhuma das equipas mostrava grande profundidade. Num contra-ataque, Sebastian Letoux ganhou um cruzamento e desviou na direcção de Fabian Herbers, que conseguiu bater o guardião Brad, levando assim a decisão da eliminatória para prolongamento.

No primeiro minuto do período adicional, o banco do Revolution levantou-se a protestar um lance em que o jovem Zachary Herivaux apareceu caído na área, numa disputa com Fabinho, mas o árbitro mandou seguir, perante os protestos de Jay Heaps.

Logo a seguir, numa jogada de insistência, a bola sobrou para Leo, Fernandes, à saída da pequena área, e este rematou de primeira, mas Knighton lançou-se ao solo e desviou. Excelente oportunidade, anulada por melhor intervenção de Knighton.

Aos 14 minutos, Ilsinho assustou quando flectiu para o centro e atirou fortíssimo, levando a bola a raspar na trave e a sair.

Mesmo em cima do final do primeiro período extra, os Revs tiveram duas excelentes oportunidades na mesma jogada. Depois duma boa troca de passes, Andrew Farrell apareceu solto perto da pequena área, mas Andre Blake, conseguiu desviar. A bola sobrou para Kelyn Rowe, e o guardião visitante tornou a evitar o golo.

Aos 29 minutos o golo tornou a estar à vista. Nguyen recebeu um passe na direita, evitou um adversário, foi à linha e cruzou atrasado, para Diego Fagundez, mas este atirou sobre a barra.

Como ninguém conseguiu marcar, a decisão transitou para as grandes penalidades e aí o Revolution ganhou o lançamento da moeda ao ar, optando por ser o primeiro a marcar, decisão que acabaria por dar resultado.

Lee Nguyen abriu a contagem e Knighton desviou o remate de Le Toux, para colocar os Revs em vantagem. Chris Tierney fez o 2-0, mas Ilsinho reduziu.

O jovem Scott Caldwell rematou ao lado, mas Knighton redimiu o colega ao desviar o remate de C. J. Sapong.

O capitão José Gonçalves fez o 3-1, Fabian Hebers ainda conseguiu reduzir, mas Je-Vaughn Watson tornou a ser decisivo ao converter a grande penalidade que colocou o Revolution na meia-final da prova, onde vai defrontar o Chicago Fire.

De salientar que Chicago fez história com o triunfo sobre o Fort Lauderdale Strikers, por 3-0, com golos de David Accam, Michael de Leeuw e Khaly Thiam, pois passou a ser a primeira equipa com 12 presenças nas meias-finais da prova. O jogo seguinte terá lugar a 9 ou 10 de Agosto.

Topics: